Intemporalidade

Acorde para Vencer

Não é necessário deixar o tempo para perceber inteiramente a intemporalidade e, de fato, não é o propósito da alma que o façamos. É necessário se ver como um cidadão de um universo espiritual vasto e misterioso que contém tudo o que é, um universo do qual o físico é apenas uma parte.

SOLSTÍCIO DE VERÃO

Este é o início de uma mudança que todos estavam esperando, o movimento para uma realidade de dimensão mais elevada, a consciência dos reinos espirituais, o conhecimento de que Deus é real. O coração clama por tal conhecimento, mesmo quando a mente frequentemente duvida e pede provas.

Agora, nesta próxima onda de expressão cósmica, a mudança começará a ser mais tangível para muitos, pois a sensação do próprio tempo foi alterada pela presença da intemporalidade. O que é a intemporalidade?

É a realidade subjacente do próprio tempo. É o “além do tempo”, do qual o tempo faz parte. Pois podemos considerar o tempo e o espaço como lentes nas quais nós vemos e experienciamos uma porção desta realidade subjacente, não o todo, mas uma porção. Seria como se a humanidade, baseada na formação do cérebro, estivesse usando lentes polaroides que eliminassem uma determinada porção do espectro de luz, no entanto, sendo capaz de ver o resto, pensando que isto era tudo o que havia. Assim é a percepção do tempo dentro da intemporalidade. Percebemos a porção da realidade que nossas lentes nos permitem perceber, e não percebemos o resto.

O que é a intemporalidade e como ela muda a percepção?

Imaginem a qualquer momento em que vocês se perderam no pensamento, ou na ação, onde o ambiente desapareceu e vocês ficaram imersos na intensidade de sua própria preocupação, seja mental, imaginativa ou física. A intemporalidade é semelhante na medida em que permite que o imediatismo do momento aumente a tal ponto que ele se torne, literalmente, tudo o que existe. É onde nós residimos com uma sensação de realização e de plenitude, não havendo mais nada fora disto e nada mais seja necessário.

A experiência humana aborda tal experiência da intemporalidade em momentos de grande amor, ou de paixão, ou de devoção a algo que esteja além de si mesmo. E, no entanto, estes momentos se dissolvem em um próximo momento, em que o tempo novamente retoma o seu espaço na consciência. Entretanto, a percepção da intemporalidade é um espaço em que vive a alma humana e que o ser encarnado pode aprender a viver, um espaço que é completo em si mesmo, análogo ao que tem sido chamado de “eterno presente”. Não podemos pensar com as nossas mentes o que significa o “eterno presente”. Mas podemos saber com a nossa experiência que nestes momentos quando estivemos profundamente imersos em algo, especialmente algo sublime, que tudo desapareceu e que havia somente ESTE. Esta é a verdade do eterno presente. É tudo o que há, e não chegamos a vê-lo por causa das lentes que usamos, que agem como filtros de percepção sobre a nossa visão.

Há uma mudança que está chegando com relação a estes filtros de percepção. Esta mudança não é algo que iniciamos através de nossa vontade, ou através de nossas ações. É uma mudança iniciada através da ação Divina que irá eliminar progressivamente os filtros perceptivos, de modo que possamos perceber a intemporalidade, mesmo enquanto vivemos dentro do tempo. Não é necessário deixar inteiramente o tempo para percebermos a intemporalidade, e, de fato, não é o maior propósito da alma que façamos isto. É necessário se ver como um cidadão de um universo espiritual vasto e misterioso que contém tudo o que existe, um universo do qual o físico é apenas uma pequena parte. Esta mudança só irá permitir que os seres humanos se movam progressivamente para os estágios mais elevados da percepção espiritual, onde todas as lentes não mais funcionam e não são mais necessárias. Apenas a mudança de se perceber principalmente como um cidadão de um universo espiritual e não de um universo físico, é um começo.

Toda a ajuda está sendo dada neste momento para estabelecer e criar aberturas para esta mudança na percepção, tanto no nível individual, quanto coletivo. Todos nos reinos da Luz que estão envolvidos com a transição da Terra estão zelando por esta mudança na percepção do tempo, de modo que a transição possa prosseguir sem problemas e que o medo, onde ele ocorra, possa ser dissolvido.

Que todos os seres vivam livremente, agora, sem lentes, sem a necessidade de limitar a magnificência de quem eles verdadeiramente são. Que todos aceitem a sua verdadeira cidadania como seres da criação divina, na vasta paisagem de todas as esferas do ser.

Fonte: Luz de Gaia

——————————————————————————————-

O que significam os atributos de Deus: Intemporalidade e inespacialidade?

Um dos atributos divinos é ser intemporal e inespacial. Esses dois atributos são de difícil compreensão, já que, pelo fato de sermos temporais e espaciais, temos dificuldade de nos apercebermos dessa forma de ser.

A intemporalidade de Deus é um corolário do fato de ser incriado, mas eu gosto de inverter esta afirmação, dizendo que Deus é intemporal – fora da seqüência do tempo – e por causa disto Ele é incriado. Sendo intemporal, a sua criação também o é. Portanto, a criação dos infinitos universos em ioiô nunca teve início e nunca terá fim, mesmo que cada universo, em particular, tenha um começo e um término.

Uma conseqüência da intemporalidade divina é o fato de Ele ser onisciente, ou seja, sabe de tudo. Ele o é, não só por causa de sua infinita sabedoria e inteligência ilimitadas, mas também porque toda a série de fenômenos que dependem do espaço-tempo acontece dentro de si como num único átimo. Logo, nada lhe escapa à percepção, já que passado, presente e futuro, para Ele, apenas é. Ele tem, no entanto, consciência da temporalidade das coisas, o que lhe permite estabelecer as leis materiais de um modo seguro, sem necessidade de abrir exceções e conceder favores extemporâneos.

Deus é, também, onipresente. Isto se deve a dois fatos: à sua imensidade, que açambarca tudo e todos, assim como o fato de não ser espacial. Esta característica é aparentemente complicada, mas basta que se defina que espaço é uma característica da própria matéria.

Não sendo Deus material na acepção do termo, ele é inespacial. Portanto, a figura geométrica mais próxima da essência divina seria o ponto. Deus seria um ponto, cujo campo de energia, de atuação, de força, ou outra palavra e conceito correspondente, se estende até o infinito. Como ponto, Ele é inespacial, intemporal e simples, não constituído de partes.

Nós, portanto, espíritos criados por Deus, também somos pontos, onde se agregam várias formas de energia, desde a mais densa até as mais sutis, formando um conjunto energético integrado.

Pela expansão de seu pensamento, de seu campo energético, Deus é imenso, infinito, ilimitado, perfeito e onipresente. A medida que transformamos nosso potencial em ato, também vamos expandindo nosso campo energético para os limites do infinito, portanto, aproximando-o, cada vez mais, da essência divina, tornando-nos deuses.

Fonte: Yahoo Respostas

——————————————————————————————-

Ser Intemporal !

 
 

Ser intemporal, é saber que nem sempre se será jovem, nem se será velho quando se tiver um pouco mais de idade, mas somente mais experiência e em princípio mais conhecimento daquilo que erramos e  ter consciência que iremos errar mais vezes e esperar que aprendamos com isso.

Ser intemporal, é saber que com menos idade, caminharemos para ter mais idade, visto ser só uma questão de tempo e que só se será velho se deixarmos de querer aprender.

Ser intemporal, é saber que com o tempo as coisas serão mais relativas em termos de importância, que as ilusões, serão somente isso mesmo, mas que também nos desiludiremos ao longo da vida e que a maturidade não é sinônimo de velhice, mas de experiência e que esta nos dá a força e a agilidade que fomos largando ao longo de outros tempos e que não somos mais “brinca na areia”.

Ser intemporal, é saber que todos têm a sua importância e que o mais interessante é cruzar a experiência daqueles que têm a marca da intemporalidade, com a energia e a pujança dos que ainda estão a viver para a terem com o tempo.

Ser intemporal, é saber que se aprende com quem é mais novo e com quem tem mais tempo de vida e que absorver esse conhecimento é uma arte para se poder ir mais além na vida e no desenvolvimento da consciência e na conquista da Sabedoria.

Ser intemporal, é não nos deixarmos deslumbrar pelos êxitos da vida, nem nos desanimarmos com os imprevistos da vida, mas termos a lucidez e a força para nos superarmos para irmos mais além.

Ser intemporal, é saber que tudo tem um início e um fim e que a vida é um momento muito curto que nos liga a um outro momento, a morte, a qual nos dará a intemporalidade ou o anonimato para a eternidade.

Ser intemporal, é saber que cada um de nós tem algo de especial e comum, por virmos da mesma essência humana.

Ser intemporal, é aprender com as agruras da vida e descortinar nessas alturas quem é nosso amigo de verdade e está ao nosso lado para nos agarrar e catapultar-nos lá para cima e saber descortinar os “amigos” de conveniência das “palmadinhas nas costas” que nos largam no chão e se possível ainda nos empurram mais para baixo.

Ser intemporal, é saber que a juventude está na atitude e na cabeça e não na matéria e que a intemporalidade carrega a jovialidade na essência, sem ter nada a provar a ninguém.

Aprendamos a tornar-nos uma pessoa intemporal, deixando que a vida nos transmita essa característica com o tempo.

Fonte: António Pereira

——————————————————————————————-

Mensagem Motivacional

Sugestão: Fone de ouvido

You are free to comment

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s